O crítico e editor cultural estuda a produção cinematográfica brasileira a partir de 1990. Começando o retrato pela era Collor, quando a produção nacional foi estancada, o livro descreve a retomada das atividades cinematográficas e o alcance de certa estabilidade, quando filmes como O auto da compadecida, Carandiru e Cidade de Deus obtiveram boa repercussão entre público e crítica.

Livro
Formato
ISBN 978-85-744-8078-7
Páginas 256
Sobre o autor (a) Luiz Fernando Zanin Oricchio é crítico de cinema e editor do suplemento “Cultura” do jornal O Estado de S. Paulo. Estudou filosofia e psicologia na Universidade de São Paulo. Colaborou e teve artigos publicados em diversos jornais e revistas, como o caderno “Idéias” do Jornal do Brasil, as revistas Cinema, Imagens, Cultura Vozes, entre outras. Cobriu como repórter especializado diversos festivais de cinema no Brasil e no mundo, atividade que continua exercendo. Fez parte de júris em festivais e em concursos de roteiros, como os da Secretaria e Cultura do Estado e da Petrobrás. Escreveu diversos verbetes para a Enciclopédia do cinema brasileiro (de Fernão Ramos e Luiz Felipe Miranda). Escreveu ensaio intitulado “O Sertão no Imaginário Cinematográfico Brasileiro” para o livro New Brazilian Cinema, organizado pela crítica e professora Lúcia Nagib, a ser editado na Inglaterra.

Escreva um comentário

Nota: O HTML não é traduzido!
Ruim           Bom