Raros são os escritores que mantêm um diário paralelamente ao livro que escrevem e o publicam em vida. É o caso de Gide com seu famoso romance da juventude perversa. Este Diário é o longo diálogo com seus personagens à medida de sua evolução, e nos permite, como se fosse um grande estudo introspectivo, sentirmos à perfeição o mecanismo criador, a argúcia crítica e a (des)construção narrativa do Prêmio Nobel 1947 em Os moedeiros falsos.


Livro
Autor André Gide
Páginas 144
Tradutor Mário Laranjeira

Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.