As incidências da criação artística e da literatura sobre a estética cotidiana do corpo são o ponto central desta obra do sociólogo francês Henri-Pierre Jeudy. Segundo ele, o corpo visto como objeto de arte é um estereótipo de nossa ideali-zação estética. Não se trata de modelos de beleza ou da estética do dândi, mas de como o corpo é utilizado na arte, não apenas como modelo a ser reproduzido, mas também como suporte ativo, tornando‑se a própria linguagem.


Livro
Autor Henri-Pierre Jeudy
Páginas 184
Tradutor Tereza Maria Lourenço Pereira

Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.