A narrativa curta — ou mesmo brevíssima — de Yasunari Kawabata já se consolidou como um clássico do gênero. O autor atinge nestes Contos da palma da mão um grau de virtuosismo por muitos aclamado. Para isso, ele amplia com precisão microscópica o tradicional pendor japonês por pureza e delicadeza.
Sobressai, na confluência de forma e conteúdo, um despojamento minimalista que deixa nus e crus sentimentos e sensações, convergindo ora para toques de surrealismo, ora para leituras do subconsciente à maneira psicanalítica, características do movimento shinkankakuha ou neo-sensorialismo, de que o autor fazia parte. Entre muitos outros temas, especialmente prazerosos são os que põem em cena o bairro de Asakusa em Tóquio, com seu amálgama de teatros, cabarés musicais (com grande presença tanto do jazz quanto de formas teatrais japonesas clássicas) e casas de deleites carnais. A tradutora Meiko Shimon, que se especializou na obra do autor e se dedicou longamente ao estudo destes contos, manteve aqui uma criteriosa fidelidade ao mestre japonês. Quando necessário, foram inseridas notas, que um glossário complementa.  A atual seleção abrange 122 contos, que Kawabata considerava, nos seus anos tardios, seus “contos que cabem na palma da mão”, e dos quais dizia com a candura que era de seu feitio: “ [...] Vive neles o espírito poético de meus dias jovens.” 

Livro
Autor Yasunari Kawabata
Páginas 496
Tradutor Meiko Shimon

Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.