Gaston Bachelard (1884-1962), figura exemplar da escola laica – bolsista de origem modesta, acabará por ocupar a cadeira de História e de Filosofia das Ciências da Sorbonne – é um pensador não convencional: baseando-se na física, na química e na matemática em plena revolução, mas também em Freud e em Jung (reinterpretados), construiu uma epistemologia de um racionalismo sutil que fez amplamente escola, compreendendo o progresso da ciência como uma sequência de descontinuidades; metafísico, opôs-se a Bergson quanto ao problema do tempo, defendendo uma filosofia do instante contra a filosofia da duração; renovou também a abordagem da poesia, dando uma importância inédita ao imaginário.
Examinamos aqui a abundante obra de Bachelard: sua epistemologia, a partir do Ensaio sobre o conhecimento aproximado até o Materialismo racional, passando por A filosofia do não e O novo espírito científico; sua “metafísica”, reunida em A intuição do instante e A dialética da duração; sua poética, desde A psicanálise do fogo até A poética do devaneio, passando por A água e os sonhos e A  poética do espaço.

Livro
Autor Vincent Bontems
Páginas 264
Tradutor Nicia Adan Bonatte

Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.