Pierre Michon apresenta uma ficção memorialística em oito capítulos feita a partir da reconstrução de vidas alheias, como a de seus avós e de seus antigos companheiros de classe na nostálgica província francesa. Vidas desoladas, vidas de antepassados, parentes e amigos, personagens cambaleantes na província francesa em torno de um vilarejo esquecido. Trajetórias de vida que, de tão “miniaturizadas”, tornam-se universais.