Carlota não consegue dormir e se vê perseguida por monstros maluquinhos, bem coloridos e até que inofensivos. Mas seu medo deles é grande. Aparecem toda hora em seu quarto, basta a mãe virar as costas que eles a atormentam. O que fazer? A mãe quer dormir, quer que a filha durma. Uma tem que ir ao trabalho cedo, a outra tem escola. Carlota se enche de coragem e decide enfrentar os monstros. Descobre que queriam um pouco de diversão. Assim como toda criança, eles adoram televisão — também têm seu lado infantil. Final feliz, a coisa se resolve do jeito mais simples possível. Como em toda a série da Carlota, vemos uma menina birrenta e perseverante às voltas com questões bem corriqueiras do dia a dia, tratadas de forma leve pela irreverente cineasta Doris Dörrie, que nos diverte com muita seriedade.