A Editora Estação Liberdade introduz no Brasil a obra do grande sábio das letras árabes, Gamal Ghitany, após ter publicado autores tão diversos desse universo, como Rachid Boudjedra e Rafik Schami. No romance de Ghitany, traduzido diretamente do árabe egípcio por Safa Jubran, um velho habitante do Cairo acorre um dia ao país do poente levando consigo uma extraordinária história de errância, de revelações e de imposições divinas; logo o sultão ordena que um de seus secretários registre em detalhes seu relato místico e emocionante. Tudo começa em sua morada no Egito, na noite em que Ahmad Ibn-Abdallah ouve uma voz misteriosa dizendo-lhe: “Parta!”. O chamado ordena-lhe que siga sempre em direção ao poente, e, quanto mais a voz ecoa, mais Ahmad deixa para trás seus entes queridos e tudo o que havia construído. Tem então início uma jornada de autoconhecimento e reflexão, na qual o estrangeiro se deparará com personagens enigmáticos, desafios extraordinários e as mais inesperadas experiências. Aprenderá a arte da navegação no deserto com a caravana de Hadramawti, a descoberta do amor num oásis negligenciado pelos mapas, a força enlouquecedora do poder no fabuloso Território das Aves, a experiência caótica do povo dos bastões. Caminha sem bagagem alguma, mas adquire alguns pertences ao longo do caminho: uma caneca, um pequeno odre de couro e três livros — um deles muito misterioso, com páginas em branco. Viagem rumo ao desconhecido que alia mistério a erotismo, seriedade a humor e a tradição narrativa das Mil e uma Noites ao multifacetado romance contemporâneo, o conto maravilhoso do escritor egípcio Gamal Ghitany é, ao mesmo tempo, uma sátira aos regimes políticos do mundo árabe, uma meditação sobre a vida humana e um hino à beleza do mundo.