Jean-Paul Sartre (1905-1980), filósofo, escritor, dramaturgo e grande intelectual engajado, marcou profundamente o século XX. Pensador da liberdade e de seu contrário (a alienação), do engajamento e da responsabilidade, do para-si e do em-si, da consciência e do mundo, do sujeito e do Outro, da moral e da má fé, do grupo em fusão e da série, da totalidade e da história, ele é uma voz original da fenomenologia.
Para Sartre, o homem é inteiramente livre e responsável por seus atos, sem desculpas, e inteiramente alienado, porque ele é consciência de mundo, posição de si numa certa situação – que só tem sentido para uma consciência livre.
No livro, Nathalie Monnin analisa a densa obra de Sartre: da Transcendência do ego ao Idiota da família, passando por O ser e o nada e Moral e história, principalmente.
A vida política de Sartre, que ajuda a compreender seus engajamentos conceituais, é abordada, bem como as várias vertentes de sua filosofia. As principais linhas de pensamento do filósofo são apresentadas de forma rigorosa e acessível: sua fenomenologia e suas ideias sobre nossa relação com o mundo, a problemática da liberdade e da alienação, e suas reflexões sobre sociedade e história. A autora também explora a atuação de Sartre como teórico da literatura, do teatro e das artes. 
Col. Figuras do Saber - 32