Mídias Sociais
Facebook
Twitter
Instagram
Pinterest
Youtube

A inveno de Paris

A cada passo uma descoberta

Autor: ric Hazan

Tradução: Mauro Pinheiro
Páginas: 448 | ISBN: 978-85-744-8213-2

Categoria: Prximos Lanamentos

R$ 145,00


Descrição:
O que as esquinas, as muralhas e as caladas de Paris contariam, se pudessem falar? E quanto aos ilustres e annimos que viveram, sonharam e morreram nessas ruas, que tipo de cidade eles cantariam se suas vozes ainda ressoassem pelos sculos? Todas essas vozes, histrias, glrias e tragdias esto em A inveno de Paris A cada passo uma descoberta, do historiador francs Eric Hazan. Com faro de contador de histrias e rigor de pesquisador, Hazan faz em seu livro uma biografia afetiva e antioficial de Paris, passo a passo, sculo a sculo, revivendo a histria oculta (e, no raro, sangrenta) da capital francesa. O autor produz essa histria com base em seu extenso conhecimento da cidade onde mora desde que nasceu e tambm recorrendo aos grandes literatos e artistas que passaram por suas ruas: do pico Victor Hugo ao flneur potico Baudelaire, das telas de Manet e Degas aos lendrios cliques de Brassa, Atget e Doisneau. O livro se divide em trs partes, sempre pontuadas pelas frases das figuras histricas convocadas por Hazan. Na primeira, Antiga Paris e Nova Paris, o autor faz uma anatomia dos bairros parisienses, gastando a sola do sapato e extraindo dos boulevards, ruas e becos as histrias escondidas pelo tempo e pelas sucessivas reconstrues da cidade. A segunda parte, Paris vermelha, explicita a vocao revolucionria da capital francesa. O relato aprofundado das barricadas, rebelies e insurreies que marcaram os ltimos sculos prope uma leitura indita de Paris, mostrando os conflitos internos como um dos pontos definidores de sua histria. A terceira parte dedicada s artes, Paris dos flanadores e do comeo da fotografia, uma ode a uma cidade que atualmente sofre um processo de museificao e enfraquecimento, como Hazan no deixa de pontuar, afirmando ainda que novas rupturas no deixaro de vir tradition oblige. A ideia de psicogeografia, cunhada por Guy Debord, permeia o livro, bem como as Passagens e as Teses sobre o conceito de histria, de Walter Benjamin. Hazan, que conhece todos os cantos e segredos de Paris, revira cada pedra da cidade para resgatar uma histria soterrada, a da Paris das turbulncias e da constante reinveno, que, se depender dele, no ser esquecida to cedo.
Facebook


Rua Dona Elisa, 116 | 01155-030 | Barra Funda | São Paulo - SP
Tel.: (11) 3660-3180
© Copyright 2017 | Estação Liberdade ® Todos os Direitos Garantidos | Desenvolvido por Convert Publicidade