As cineastas que moldaram o nosso audiovisual, das pioneiras aos dias de hoje

"Mulheres atrás das câmeras" celebra a obra das realizadoras brasileiras ao longo de quase 100 anos de produção

Editado em parceria com a Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine), Mulheres atrás das câmeras: as cineastas brasileiras de 1930 a 2018 é fruto de uma inquietação perante as poucas informações disponíveis sobre a história do cinema brasileiro feito por mulheres.

Os 27 textos estruturam esta produção por meio de ensaios com recortes temáticos ou focados em figuras de destaque. Vamos desde o pioneirismo de Cléo de Verberena (a primeira realizadora mulher), Carmen Santos (produtora, atriz, criadora de estúdios) e Gilda Abreu (roteirista e diretora do sucesso O ébrio [1946]), até diretoras em atividade como Anna Muylaert e Suzana Amaral. A edição também inclui filmografias das realizadoras perfiladas e o “Pequeno dicionário das cineastas brasileiras” com mais de 250 verbetes.

O prefácio salienta as dificuldades impostas às mulheres (e, em particular, mulheres negras) para ascender à qualidade de diretoras na indústria cinematográfica. Nos artigos, acompanhamos a jornada das artistas que diversificaram o cinema brasileiro e o histórico de suas contribuições, passando também pelas principais questões temáticas, técnicas e estéticas de suas obras.




Título: Mulheres atrás das câmeras: as cineastas brasileiras de 1930 a 2018
Organizadoras: Luiza Lusvarghi e Camila Vieira da Silva
Formato: 16 x 23 cm / 368 páginas
ISBN: 978-85-7448-308-5

 
Sobre as organizadoras

Luiza Lusvarghi é jornalista, pesquisadora de cinema e audiovisual e professora. Autora de Cinema nacional e World Cinema (2010), O crime como gênero na ficção audiovisual da América Latina (2018), assina o blog Femme Fatale. É vice-coordenadora do Grupo de Pesquisa Cinema da Intercom, integrante do Coletivo Elviras de Críticas de Cinema e foi diretora da Abraccine entre 2015 e 2019.

Camila Vieira da Silva é jornalista, crítica e curadora de cinema. Integrou a curadoria de curtas da Mostra de Cinema de Tiradentes, em 2018 e 2019. Participa do podcast Feito por Elas, com ênfase em filmes dirigidos por mulheres. Escreve atualmente nas revistas eletrônicas Sobre cinema e Multiplot. É integrante da Abraccine e da Associação Cearense de Críticos de Cinema (Aceccine).



Evento de lançamento

Marcando o lançamento do livro, mulheres da indústria cinematográfica brasileira se juntarão para conversar sobre dificuldades e possibilidades de fazer cinema no Brasil, olhando também as trajetórias daquelas que as antecederam. A roda de conversa – formato comum no movimento feminista, um pouco mais informal e que busca estimular a participação do público – faz parte da programação oficial da 43ª Mostra Internacional de Cinema de SP. O evento acontece na quarta-feira, dia 23/10, das 19h às 22h, na Livraria Blooks do Shopping Frei Caneca (Rua Frei Caneca, 569 - 3º piso). A roda de conversa terá início às 19h30.

As convidadas que integrarão a mesa são Debora Ivanov (diretora da Ancine até outubro, produtora de cinema), Karla Bessa (pesquisadora da Unicamp, coordenadora do Núcleo de Estudos de Gênero Pagu), Lilian Solá Santiago (cineasta, doutoranda pela ECA-USP e pesquisadora do LabArteMídia desta faculdade) e Tata Amaral (cineasta, integrante do Coletivo Vermelha de cineastas e roteiristas mulheres). A mesa terá mediação de Luiza Lusvarghi, organizadora do livro.



 
Lançamento e roda de conversa: “Mulheres atrás das câmeras: as cineastas brasileiras de 1930 a 2018”
Data: Quarta-feira, 23/10/2019, 19h às 22h
Local: Livraria Blooks – Shopping Frei Caneca (Rua Frei Caneca, 569. 3º piso)
Lançamento de "Mulheres atrás das câmeras: as cineastas brasileiras de 1930 a 2018"
e conversa com Debora Ivanov, Karla Bessa, Lilian Solá Santiago e Tata Amaral, com mediação de Luiza Lusvarghi. 

A conversa é aberta e faz parte da programação oficial da 43ª Mostra Internacional de Cinema de SP






Comentários

Escreva um comentário