14 DE JULHO, FESTEJANDO O QUE É DE DIREITO!

14 DE JULHO, FESTEJANDO O QUE É DE DIREITO!

Grande evento político e social e marco inicial de democracia como a entendemos hoje, seu símbolo máximo é a tomada da Bastilha em Paris no ano de 1789 pela população ultrajada por tempos infindáveis de desmandos, humilhação e miséria. Os prisioneiros foram libertados e a fortaleza-prisão, destruída (urbanisticamente, pena pela perda desta interessante edificação sui-generis no meio da capital).

Leia Mais

Comentários do editor sobre os lançamentos 2020

Comentários do editor sobre os lançamentos 2020

"Ficamos especialmente felizes com a Revista Quatro Cinco Um listando nossa safras de próximos lançamentos. A janela japonesa continua forte. De mestre Kawabata, Beleza e tristeza sairá com tradução do japonês por Lídia Ivasa. O Nobel de 1968 revista à sua maneira um triângulo amoroso. Beleza e tristeza será nosso décimo-primeiro livro dele, era um que faltava em nosso catálogo.

Leia Mais

O Divã ocidento-oriental de Johann Wolfang von Goethe

O Divã ocidento-oriental de Johann Wolfang von Goethe

O Divã ocidento-oriental (em alemão, West-östlicher Divan) é a única coletânea de poemas publicada em vida pelo poeta alemão J. W. von Goethe. É isso mesmo que você leu: a única coletânea! Mas como? O grande poeta não escreveu milhares de poemas, sem falar no Fausto, aquele grande poema dramático? Pois é. A grande maioria dos poemas de Goethe estão em outros locais que não em coletâneas ou “livros de poesia”: na sua volumosa correspondência, em revistas (inclusive as organizadas por ele ou em parceria com Schiller), em romances (por exemplo Mignon em Anos de aprendizado de Wilhelm Meister), em textos críticos e outros. Um ciclo de poemas pensado arquitetonicamente – no sentido que, por exemplo, entende Hugo Friedrich em Estrutura da lírica moderna – dentro da obra de Goethe encontraremos apenas no Divã ocidento-oriental.

Leia Mais

Trechos do poema “O convidado do espelho” (P.O.L, 2020) de Atiq Rahimi

Trechos do poema “O convidado do espelho” (P.O.L, 2020) de Atiq Rahimi

Queremos dar sequência à comemoração do Dia Mundial do Livro, festejada ontem, 23 de abril. Encaminhamos a nossos leitores e amigos uma oferta em que nosso catálogo está com 30% de desconto, mais frete por nossa conta, até o dia 28/4 inclusive (estendendo a ação inicial, que previa dia 26/4). Incluímos na ação 23 sugestões de livros de nosso catálogo, comentados pelo editor Angel Bojadsen, em que ele justifica essas escolhas editoriais, no contexto também dos 30 anos da casa.

Leia Mais

Dia Mundial do Livro com indicações do editor!

Dia Mundial do Livro com indicações do editor!

Para comemorar o Dia Mundial do Livro, o diretor editorial da Estação Liberdade analisou alguns pontos altos de seu trabalho nesses 30 anos de editora e criou uma lista com mais de vinte títulos do catálogo para enfrentarmos a quarentena juntos.

Leia Mais

Não deixe o mercado editorial parar, apoie uma livraria!

Não deixe o mercado editorial parar, apoie uma livraria!

Com mais de 30 anos comprometida com a cultura e a bibliodiversidade, a Editora Estação Liberdade, diante deste cenário, não seria diferente. Com o intuito de apoiar, mas também em tentativa de manter minimamente em operação o mercado editorial, reunimos uma lista de livrarias que operam mediante iniciativas como drive-thru, entregas pessoais e até mesmo delivery.

Leia Mais

OS MOEDEIROS FALSOS, de ANDRÉ GIDE está de volta ao catálogo da Estação Liberdade!

OS MOEDEIROS FALSOS, de ANDRÉ GIDE está de volta ao catálogo da Estação Liberdade!

Tarefa difícil dar conta da magnitude de Os moedeiros falsos. Romance sobre a construção do romance, é ao mesmo tempo romance de formação, flerta com o estilo folhetinesco, com o romance policial, o romance de ideias.

Leia Mais

"Divã ocidento-oriental", de J. W. Goethe

"Divã ocidento-oriental", de J. W. Goethe

O Divã ocidento-oriental é o resultado do movimento de Goethe em direção ao Oriente, "de onde há milênios têm chegado a nós tantas coisas grandiosas, boas e belas". Este desejo teve sua gênese no encontro do poeta alemão com o Diwan -- "coletânea", "ciclo" -- do persa Hafez. Reunindo mais de 500 gazéis (poemas curtos e líricos, de temática mística ou amorosa), o Diwan de Hafez circulava pelo Oriente desde o século XIV.

Leia Mais

Bloco literário: Chen Zhongshi

Bloco literário: Chen Zhongshi

O romancista chinês Chen Zhongshi nasceu em 1942, em uma região rural próxima a Xi’an, capital da província de Shaanxi, no nordeste da China. Seu avô era professor e seu pai era uma das poucas pessoas alfabetizadas da região. Refinando seu estilo e suas preocupações temáticas, ele se aprofundou cada vez mais nas pesquisas da vida cotidiana de sua região, usando como fontes o folclore e a tradição oral, bem como documentos e gazetas locais. Com estas pesquisas, produziu algumas novelas e também escreveu seu único romance, o monumental Na Terra do Cervo Branco, que lhe garantiu prestígio internacional.

Leia Mais

Bloco literário: Hans Fallada

Bloco literário: Hans Fallada

Rudolf Wilhelm Friedrich Ditzen nasceu em Greifswald, no nordeste da Alemanha, em 21 de junho de 1893. Teve uma infância difícil e uma juventude pouco sociável, talvez sequela de conflitos na relação com o pai, juiz num tribunal supremo do Reich em Leipzig. Aos 18 anos, se feriu gravemente e matou um colega em uma tentativa de duplo suicídio falseada como duelo. Em decorrência disto, teve sua primeira internação em um asilo psiquiátrico.

Leia Mais

Exibindo de 1 a 10 do total de 115 (12 páginas)