A construção de As irmãs Makioka

A construção de As irmãs Makioka

Junichiro Tanizaki está entre os grandes autores japoneses – e do mundo – do século XX. A lista dos candidatos ao Nobel de Literatura ao longo da década de 1960 atesta que a Academia sueca concorda. Nos anos que precederam sua morte, em 1965, ele figurou várias vezes entre os finalistas. É possível imaginar os ilustres membros da academia sueca em dúvida entre a fina ironia das narrativas de costumes de Tanizaki, que nunca teve medo de espiar pelo buraco da fechadura das relações humanas, e a prosa sensorial e sinestésica do estilista Yasunari Kawabata. Ao fim, foi Kawabata o primeiro autor japonês a levar para casa o prêmio de um milhão de coroas suecas.

Leia Mais

Cinco curiosidades sobre Friedrich Dürrenmatt

Cinco curiosidades sobre Friedrich Dürrenmatt

O cultuado dramaturgo e romancista suíço ganhará novas edições pela Estação Liberdade | 1) Dürrenmatt nos palcos brasileiros: Friedrich Dürrenmatt se tornou uma celebridade global principalmente por conta de suas peças, sempre carregadas de crítica social e uma visão não muito generosa da sociedade contemporânea. Para se ter uma noção da presença de Dürrenmatt nos nossos palcos: só em 2018, foram montadas no Brasil adaptações de A PANE, DIÁLOGO NOTURNO COM UM HOMEM VIL e A VISITA DA VELHA SENHORA (30 anos após sua primeira encenação no Brasil).

Leia Mais

A promessa: entre a crítica e a homenagem

A promessa: entre a crítica e a homenagem

Quem já ouviu falar de Friedrich Dürrenmatt menciona, de pronto, suas peças mais conhecidas, A visita da velha senhora, encenada várias vezes nos teatros brasileiros (inclusive por nomes como Tônia Carrero, à qual tive o prazer de assistir em cena enquanto ainda estudava alemão no Instituto Goethe, e, em sua última montagem, em 2018, por Denise Fraga), e Os físicos. Ambas, como convém ao autor suíço, críticas ferozes à sociedade e às relações humanas. No entanto, poucas pessoas conhecem uma faceta interessante do autor, que dedicou parte de sua obra aos romances policiais. Ao mesmo tempo que eram uma paixão do suíço, também suscitavam sentimentos poucos elogiosos, dado aos esquemas pouco verossímeis dos romances e sua lógica sempre tão parecida com um quebra-cabeças que espera apenas um pouco de empenho do leitor para ser desvendado.

Leia Mais

El Lissitzky e a transformação social da Rússia

El Lissitzky e a transformação social da Rússia

Nosso lançamento RÚSSIA: ARQUITETURA PARA UMA REVOLUÇÃO MUNDIAL já está em pré-venda! Artista, educador, designer, fotógrafo, tipógrafo e arquiteto, El Lissitzky (1890-1941) foi o maior disseminador do Construtivismo russo para o mundo e figura-chave entre as vanguardas modernas. Lissitzky foi também, junto de Kazimir Maliévitch, um dos idealizadores do Suprematismo russo.

Leia Mais

Um sutil retrato das tradições e dos costumes japoneses

Um sutil retrato das tradições e dos costumes japoneses

Considerada a obra-prima do escritor Jun’ichiro Tanizaki, As irmãs Makioka traça um sutil e complexo perfil da sociedade japonesa durante os anos 1930 e aborda uma série de conflitos entre os valores japoneses e os ocidentais, bem como entre a tradição e a modernidade. A história, que começa no outono de 1936 e termina em abril de 1941, sob o impacto da Segunda Guerra Mundial, retrata a vida de uma abastada família da região de Kyoto e Osaka, no oeste do país. As irmãs Makioka (Tsuruko, Sachiko, Yukiko e Taeko) tentam resolver juntas seus problemas familiares e arranjar um casamento para a terceira delas, Yukiko, uma mulher de crenças tradicionais que aos trinta anos ainda não conseguiu se casar.

Leia Mais

Akutagawa, o mestre japonês da narrativa breve

Akutagawa, o mestre japonês da narrativa breve

Kappa e o Levante imaginário promove um sobrevoo pela obra de Akutagawa, mestre inconteste da narrativa breve, trazendo ao leitor contos inéditos no Brasil, como Inferno, O dragão e Rodas dentadas, entremeados por novas traduções de contos célebres da narrativa japonesa moderna, como Rashomon e o controverso Kappa. Último de seus contos publicados em vida, Kappa gerou polêmica e diversas interpretações da crítica e do público. A partir do divertido relato de um homem internado em um sanatório, no qual este desvenda suas peripécias pelo mundo dos kappas — curiosas criaturas do folclore japonês —, Akutagawa elabora uma crítica mordaz à moderna sociedade nipônica.

Leia Mais

Friedrich Dürrenmatt: artista multifacetado

Friedrich Dürrenmatt: artista multifacetado

Filho de pastor protestante, Friedrich Dürrenmatt, nasceu em 1921 na pequena cidade de Konolfingen, na Suíça. Estudou literatura, filosofia e teologia, mas não concluiu a universidade. Dürrenmatt tornou-se um dos principais expoentes da literatura de seu país e marcou seu nome entre os principais autores de língua alemã da literatura moderna. Autor de ensaios, peças, sátiras e romances marcados por reflexões sobre a justiça, a liberdade, a culpa, o acaso, a virtude e a literatura em si, sua produção explorou a tragédia humana de forma irônica, por vezes grotesca, escancarando as ambiguidades e a decadência moral da Europa no pós-Segunda Guerra.

Leia Mais

Sete autoras para conhecer em 2019

Sete autoras para conhecer em 2019

O ano mal começou e você já está montando aquela famosa lista de livros para ler durante 2019? Para te ajudar, a Estação Liberdade reuniu seis autoras que fazem parte do catálogo e que você deveria conhecer.

Leia Mais

De férias com a Estação Liberdade

De férias com a Estação Liberdade

Aproveite as férias para finalmente devorar aquele livro tão sonhado. Confira nossa sugestão de leitura com descontos especiais!

Leia Mais

Rugendas, um cronista viajante

Rugendas, um cronista viajante

É exibido um conjunto de obras do artista alemão que, ao lado de Debret, foi responsável pela divulgação das primeiras imagens do país no exterior. A CAIXA Cultural São Paulo apresenta, de 12 de janeiro a 31 de março de 2019, a exposição “Rugendas, um cronista viajante”, que exibe obras do pintor, desenhista, ilustrador, aquarelista e litógrafo alemão Johann Moritz Rugendas (1802-1858) que retratam o Brasil no século XIX. A curadoria é de Angela Ancora da Luz e o projeto tem patrocínio integral da CAIXA e Governo Federal.

Leia Mais

Exibindo de 11 a 20 do total de 78 (8 páginas)