Cícero (106–43 a.C.), advogado, teórico da palavra, filósofo e homem público, é conhecido por seus discursos (contra Verres, Catilina ou Clódio), por sua eloquência, que durante muito tempo serviu de modelo, por suas falas políticas (as Filípicas) e por sua participação nos últimos sobressaltos da República Romana.

Sua obra filosófica — sempre frequentada por Santo Agostinho, Erasmo, Montaigne, Gassendi e Voltaire, entre outros — é tratada, desde o início do século XIX, como uma fonte documental: lemos Cícero para encontrar os estoicos, os epicuristas e os neoacadêmicos. Ele, no entanto, tem um projeto filosófico próprio e também foi responsável por ajudar a criar e fixar o vocabulário da filosofia em latim.

No livro, Clara Auvray-Assayas procura tornar (re)conhecível o projeto filosófico que dá coerência à obra do autor latino — do Orator a Sobre a adivinhação, passando por Da República, Academica, Dos termos extremos do bem e do mal, Discussões tusculanas e Da natureza dos deuses — e abrir novas perspectivas àqueles que refletem sobre o discurso público, a política e as normas éticas impostas pelo pertencimento a uma comunidade de direito.

Para além de seu papel como historiador da Antiguidade, Cícero buscou trazer a filosofia para o centro do espaço político. Para tanto, estabeleceu as condições para restituir legitimidade ao discurso e à ação políticos: uma filosofia para o cidadão, para o homem concreto, imerso na vida pública, que tem de ordenar suas ideias e comunicá-las através de palavras capazes de convencer.


 LEIA UM TRECHO

Livro
Formato 14 x 21 cm
ISBN 978-85-7448-293-4
Páginas 144
Sobre o autor (a) CLARA AUVRAY-ASSAYAS é doutora em estudos latinos (Paris 4, 1987); pesquisadora na Universidade de Rouen, Instituto Universitário da França (em 1998). É coordenadora das coletâneas Cicéron et Philodème: la polémique en philosophie (em colaboração com Daniel Delattre, Éditions Rue d’Ulm, 2001) e Images romaines (Presses de l’Ecole Normale Supérieure, 1998). Publicou em 2002 uma tradução comentada de Da natureza dos deuses, de Cícero (Les Belles Lettres).
Tradutor JANE PESSOA

Escreva um comentário

Nota: O HTML não é traduzido!
Ruim           Bom