Comentários do editor sobre os lançamentos 2020
Nas palavras do diretor editorial da Estação Liberdade, Angel Bojadsen:


"Ficamos especialmente felizes com a Revista Quatro Cinco Um listando nossa safras de próximos lançamentos.

 A janela japonesa continua forte. De mestre KawabataBeleza e tristeza sairá com tradução do japonês por Lídia Ivasa. O Nobel de 1968 revista à sua maneira um triângulo amoroso. Beleza e tristeza será nosso décimo-primeiro livro dele, era um que faltava em nosso catálogo.

Com Vida à venda, começamos a lidar com a obra complexa e desafiadora de Yukio Mishima. Radical, talentoso e vulnerável como só os gênios podem ser. Como editora comprometida com o Japão, publicar Mishima para nós era uma questão de honra. Este é o primeiro de uma série que virá.
 





Fico particularmente feliz de trazer a público Tarabas. Como os outros de Joseph Roth que a Estação Liberdade, tem uma recriação de ambiente muito calejada. Neste, aprecio muito a atmosfera da Nova York cheia de imigrantes e em pleno desenvolvimento contrastando com a velha Europa Central e seus conflitos que hoje podem parecer imaturas brigas de vizinhos. A observação e construção dos personagens em Roth como sempre se destacam.




Tarabas
, de Joseph Roth ganhou também um espaço no
caderno Aliás do Jornal Estadão



 
O que mais me atrai no momento em editar Richard Ford, cujo Com toda franqueza estamos finalizando, é receber dele em primeira mão as impressões da atual revolta nos Estados Unidos. Em Canadá, o primeiro dele que fizemos, há menções às Twin Cities, justamente Minneapolis e St Paul, Minnesota, onde um policial assassino se exibiu ao mundo. Durante a finalização da edição e Canadá, estávamos na reta final da eleição de Trump, e os comentários dele foram ótimos. Ele capricha em cada e-mail como se estivesse redigindo uma obra-prima. Simples assim.




Comentários

Escreva um comentário