Como desenvolver a confiança em si?
O que faz com que uma esportista como Serena Williams não se abale diante de um match point em uma partida decisiva? Ou que uma artista como Madonna não trema diante de um estádio lotado de pessoas que aguardam por sua apresentação? As competências que elas desenvolveram ao longo do tempo com certeza têm seu peso, mas somente isso não explica a sua autoconfiança.
Nietzsche propõe, em Assim falou Zaratustra, através do personagem do "Consciencioso", que há uma diferença entre a competência que limita e a experiência que liberta. Por medo do desconhecido, desenvolvemos a expertise, a hipercompetência que nos leva, sim, à segurança, mas que por si só pode ter um efeito limitante. Falta algo mais: é justamente ao deixar de lado o medo do desconhecido, experimentando nos lançar rumo ao incerto, que vivenciamos a verdadeira confiança em nós mesmos.
Mas afinal o que explica a confiança em si, que permite esse lançar-se com coragem, extrapolando o limite da segurança? 
Para nos conduzir nessa viagem, Charles Pépin, autor do best-seller As virtudes do fracasso, apresenta e desenvolve dez "passos" fundamentais: cultive os bons vínculos, exercite-se, ouça a própria voz, maravilhe-se, decida, ponha a mão na massa, passe à ação, admire, mantenha-se fiel ao seu desejo e confie no mistério.



Título: A confiança em si: uma filosofia
Autor: Charles Pépin
ISBN: 978-65-86068-00-9
Tradução: Luciano Vieira Machado
Formato: 14 x 21 cm | 160 páginas


Comentários

Escreva um comentário