SOBRE A OBRA

“A força da filosofia de Espinosa está em ter entristecido a alegria dos tiranos e teólogos.” A frase de André Scala mostra bem porque, em seu tempo, o judeu Baruch Espinosa (1632-1677) – um “cartesiano imoderado”, segundo Leibniz – foi o ateu, o ímpio, o infame; porque, acusado de horríveis heresias e atos monstruosos, foi excomungado pela comunidade de seu povo; e porque, apesar da excomunhão judaica, as portas cristãs não se abriram para ele. Os poderosos não gostam que se lhes anuvie o riso, diz o mesmo Scala, “as religiões sempre se reconciliam pelas costas daqueles que uma delas baniu”. Este livro, dividido em capítulos que são verdadeiras introduções a cada grande obra de Espinosa ("Tratado da emenda do intelecto", "Princípios da filosofia de René Descartes", "Tratado teológico-político" e "Ética"), mostra como o filho de um comerciante de Amsterdã se tornou filósofo e de que forma ele fez filosofia, apesar de todos os obstáculos: pregando a completa liberdade de pensamento e de prática religiosa, atacando a superstição, desvelando os artifícios do poder para conseguir a servidão e a obediência, e defendendo a ideia de que nosso principal objetivo é levar uma vida terrena plena e prazerosa.

Col. Figuras do saber - 5

SOBRE O AUTOR

André Scala, é professor de filosofia na Universidade de Valenciennes e de Lille III. Publicou "Spinoza", "Traité de la reforme de l’entendement", tradução, "Introdução e Notas" (1991) e "Pieter de Hooch" (1991). Foi também co-roteirista do filme "Les derniers jours d’Emmanuel Kant", de Philippe Collin (1992). 

Livro
Tradutor Tessa M. Lacerda
Formato 23x16x1cm
Páginas 136
Peso 0.195 Kg
ISBN 978-85-7448-080-0

Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.