SOBRE A OBRA

Considerada a obra-prima metalinguística para a qual convergem todos os estilos literários praticados pelo escritor, filósofo e ensaísta Miguel de Unamuno ao longo de sua vida, esta aventura picaresca questiona a finitude da vida e pinta um retrato comicamente desesperador da luta entre o homem e seu destino.

Névoa representa mais uma incursão das letras espanholas no terreno do Cervantes de Dom Quixote (1605) e do Calderón de la Barca de A vida é sonho (1636), dissolvendo a fronteira entre realidade e ficção. Dom Augusto Pérez acredita viver em um mundo indefinido e nebuloso após a morte de sua mãe, até que um doce par de olhos femininos cruza seu caminho. Tem início, então, a perseguição da mulher ideal — aquela que irá “sonhar com ele o mesmo sonho” —, um verdadeiro jogo de forças que lembra as partidas de xadrez que dom Augusto trava no clube com seu melhor amigo.

É com ele que dom Augusto aprende o conceito da nivola, que permeia toda a história: um novo tipo de novela escrita por seu confidente, em que o enredo, formado basicamente de diálogos, se faz à medida que se escreve, sem roteiro definido, e no qual predomina a farsa. Tomado pela frustração, o herói unamuniano duvida de sua própria existência, sem saber que, mais do que existir, é sonhado por um outro alguém.


SOBRE O AUTOR

Miguel de Unamuno nasceu em 1864, em Bilbao. Em 1886, estreia na imprensa com o artigo “Sobre o Elemento Alienígena no Idioma Basco”. Treze anos depois de ser nomeado reitor da Universidade de Salamanca, é destituído do cargo por razões políticas. É também autor de Do Sentimento Trágico da Vida e Três novelas exemplares e um prólogo, obras vanguardistas que o colocam ao lado de outros escritores da chamada Geração de 1898. Falece subitamente em 1936, em sua casa em Salamanca.

Livro
Tradutor Fabiano Calixto
Formato 21x14x1cm
Páginas 256
Peso 0.294 Kg
ISBN 978-85-7448-194-4

Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.