Pierre Michon apresenta uma ficção memorialística em oito capítulos feita a partir da reconstrução de vidas alheias, como a de seus avós e de seus antigos companheiros de classe na nostálgica província francesa. Vidas desoladas, vidas de antepassados, parentes e amigos, personagens cambaleantes na província francesa em torno de um vilarejo esquecido. Trajetórias de vida que, de tão “miniaturizadas”, tornam-se universais.

 LEIA UM TRECHO

Livro
Páginas 216
Sobre o autor (a) Pierre Michon nasceu em 1945 no vilarejo de Cards, departamento da Creuse, centro da França. Cursou letras na Universidade de Clermont Ferrand, aprofundou-se nos estudos sobre literatura e teatro, mas só veio a dedicar-se à escrita literária muitos anos depois, em 1984, tendo como livro de estréia Vidas Minúsculas, já consagrado como um clássico moderno. Além de Vidas Minúsculas, publicou ainda: Vie de Joseph Roulin(1988), Maîtresetserviteurs (1990), Rimbaud, O Filho (ed. Sulina, 2000) La Grande Beune (1996), Mythologies d’hiver (1997) e Abbés(2002). Michon recebeu em 1984 o Prêmio France Culture para Vidas Minúsculas, em 1996 o Prêmio da Cidade de Paris pelo conjunto de sua obra e em 2002 o Vertigioso Prix Décembre para a obra Corpsduroi.
Tradutor Mário Laranjeira

Escreva um comentário

Nota: O HTML não é traduzido!
Ruim           Bom