O autor aborda o Romantismo de uma maneira renovada e surpreendente. A obra divide-se em duas partes: “O romantismo” e “O romântico”. Na primeira parte, o autor aponta as origens e antecipações desse movimento que revolucionou a cultura, mostrando o espírito que disparou essa explosão criativa a gerar inúmeras teorias e ensaios filosóficos, romances e poemas. Na segunda seção, há a investigação do “romântico como atitude espiritual”, que se manifesta em autores como Schlegel, Fichte, Novalis, Marx, Heine, Nietzsche, Wagner, etc., passando por autores do século XX como Herman Hesse e Thomas Mann e seguindo trilhas que chegam ao nacional-socialismo alemão e ao movimento de 68 – inclusive suas variações de guerrilha urbana dos anos 70.