SOBRE A OBRA

Alemanha, 1940. Quando seu único filho morre na guerra lutando pelo Führer, Otto e Anna Quangel decidem que não podem mais viver como se nada estivesse acontecendo. Se eles já não simpatizavam com os rumos do país, os privilégios dos membros do partido, o constante medo da vigilância de cidadão por cidadão, os abusos de autoridade e os boatos de horrores inimagináveis, eles agora decidem agir.

A partir da história real de um casal de operários e sua inabalável coragem e resistência, Hans Fallada compõe, em forma de thriller, um retrato objetivo e cru dos horrores da vida sob a ditadura nazista. Entre trabalhadores, marginais, pequenos tiranos, acusados e acusadores, o autor apresenta os tipos de uma Berlim sitiada, sufocada pelo vício e pelo medo, mas também marcada pela esperança. Um fenômeno de vendas após sua primeira tradução para o inglês em 2009, Morrer sozinho em Berlim, publicado originalmente em 1947, é um clássico da literatura alemã, escrito por um dos mais populares autores do país no século XX.  

LEIA UM TRECHO DA OBRA


SOBRE O AUTOR

Rudolf Ditzen nasceu em Greifswald, no nordeste alemão, em 1893,  filho de um respeitado jurista. Em 1920, assumiu o pseudônimo Hans Fallada, inspirado em contos dos irmãos Grimm. Obteve grande sucesso na Alemanha e no mundo na década de 1930 com o romance E agora, seu moço? (Livraria do Globo, 1934), que narrava a condição miserável no país antes da ascensão de Hitler. Faleceu em 1947, algumas semanas antes da publicação de Morrer sozinho em Berlim.