SOBRE O AUTOR

    Klaus Mann nasceu em 1906, em Munique, sendo o filho mais velho do
    Prêmio Nobel Thomas Mann. Estudante, já escrevia poemas e novelas. Em
    1924, foi para Berlim trabalhar como crítico teatral. Fundou, ao lado de sua
    irmã Erika, de Pamela Wedekind e Gustaf Gründgens, um grupo de teatro.
    Logo causou sensação em Berlim e em turnês, montando peças de sua autoria.
    Em 1927/28, fez com Erika uma viagem pelo mundo, financiada por conferências
    improvisadas e apresentações feitas pela dupla, e que rendeu o livro Rundherum
    [Viajando]. Em 1932, Klaus Mann publicou a autobiografia de sua juventude agitada,
    Kinddieser Zeit[Filho Desta Época]. Emigrou em 1933, inicialmente para Amsterdã.
    Lá editou a revista político-literária Die Sammlung [A Coletânea] e engajou-se na
    Frente Popular de oposição a Hitler. Dois anos depois da publicação em 1936 de
    Mefisto, buscou asilo nos Estados Unidos. Em 1941/42, editou em Nova Iorque a revista
    de vanguarda Decision. No final de 1942, tornou-se soldado do exército americano.
Participou da campanha aliada no norte da África e na Itália e, como correspondente do jornal do exército americano Stars and Stripes, visitou a Áustria e a Alemanha derrotada. Não retornou à antiga pátria, trocando várias vezes de domicílio nos anos pós-guerra. Em 21 de maio de 1949, morreu em Cannes em conseqüência de uma overdose de soníferos. Ao lado de Mefisto, as principais obras de Klaus Mann são o romance sobre Tchai kóvski Sinfonia patética (Brasiliense, 1989), Der Vulkan [O Vulcão] e o relato autobiográfico Der Wendepunkt [Ponto de Transição]. 


CATEGORIA
Domínio Alemão


OBRA

Mefisto

R$50,00