Yukio Mishima 


Yukio Mishima, nascido Kimitake Hiraoka em Tóquio, em 1925, foi uma das mais populares personalidades das artes no Japão do século XX. Mishima foi romancista, poeta, crítico, ensaísta, dramaturgo e ator. Sua estreia na literatura se deu com apenas 19 anos, pouco antes de se graduar em direito na Universidade Imperial de Tóquio. Sua amizade com Yasunari Kawabata ajudou-o a ganhar espaço no meio literário.

Com Confissões de uma máscara, de 1949, ele se firmou como o grande talento de sua geração. Seguiu produzindo abundantemente e foi indicado ao Prêmio Nobel. Ao longo de sua vida, Mishima se tornou cada vez mais fascinado com a cultura tradicional japonesa, criticando a ocidentalização e a decadência do país depois da ocupação americana.

Sua morte foi provavelmente o mais importante evento da literatura japonesa moderna. Em 25 de novembro de 1970, Mishima, junto com quatro membros do Tatenokai, sociedade paramilitar formada por ele, invadiram a sede do exército japonês em Tóquio com o intuito de dar um golpe de Estado e restabelecer os poderes do imperador. Após proferir seu discurso aos soldados reunidos, Mishima cometeu seppuku, o suicídio ritualístico tradicional samurai, deixando seus milhões de leitores no Japão e no mundo perplexos.
      
             
CATEGORIA
Domínio Japonês

OBRA



Kawabata-Mishima correspondência 1945-1970