Sete autoras para conhecer em 2019

O ano mal começou e você já está montando aquela famosa lista de livros para ler durante 2019? 
Para te ajudar, a Estação Liberdade reuniu sete autoras que fazem parte do catálogo e que você deveria conhecer. 

Banana Yoshimoto 

Banana Yoshimoto, cujo nome de batismo é Mahoko Yoshimoto, nasceu em Tóquio, em 24 de julho de 1964, filha do poeta e militante de esquerda Takaaki Yoshimoto (1924-2012). Formada em literatura pela Universidade Nihon, foi muito bem recebida pela crítica por sua obra de estreia, Kitchen, publicada em 1988, quando ainda era estudante universitária. Kitchen lhe rendeu o prêmio literário Izumi Kyoka.

Tendo começado a escrever de forma bastante precoce, aos cinco anos de idade, ela adotou o pseudônimo “Banana” pelo apreço que tem por flores de bananeira. Seus livros já foram traduzidos para mais de vinte idiomas. 

O tema da morte e a preferência por protagonistas mulheres são algumas das marcas mais evidentes na escrita da autora, cujos personagens nunca caem nos lugares-comuns: ao contrário, são sempre excêntricos. 

Bastante produtiva Banana Yoshimoto lançou ainda, entre outros títulos, Mizuumi [O lago, 2005], Moshi moshi Shimokitazawa [Olá Shimokitazawa, 2010] e Tori-tachi [Pássaros, 2014].

Tsugumi é o primeiro título da autora japonesa editado pela Estação Liberdade.  A obra já inspirou uma versão cinematográfica, dirigida por Jun Ichikawa em 1990. O filme tem no elenco o astro japonês Hiroyuki Sanada, que estrelou grandes produções como as séries Lost e Revenge, e os filmes O samurai do entardecer, Wolverine: Imortal e 47 Ronins.


Tsugumi | R$39,00
 Leia um trecho



Kwong Kuen Shan

Kwong Kuen Shan é uma artista e escritora natural de Hong Kong. Kuen Shan estudou inglês e chinês clássico em seu país natal antes de se radicar em Londres. Atualmente, vive com o marido Christopher e o gato Joseph em uma pequena cidade no País de Gales, onde pinta, escreve e ensina arte chinesa.

Seus temas preferidos são animais domésticos, vida selvagem, flores e paisagens. Nas horas livres, cozinha, toca piano (um pouco), cuida do jardim (bastante) e mima Joseph (muito!).
Além de exposições locais, seus trabalhos foram destacados recentemente em mostras em Paris e Milão. É autora das obras O gato e as orquídeas, O gato filósofo e O gato zen, todos publicados pela Estação Liberdade. 

Os gatos são conhecidos pela autonomia, pela serenidade, pela maneira como vivem o momento presente, sem se importar com o que está por vir. Kwong Kuen Shan combina com graça e delicadeza frases de sabedorias e aquarelas em um livro que é um autêntico tesouro, feito para inspirar e encantar. Cada “aquarela felina” da artista é acompanhada por uma frase de sabedoria chinesa cuidadosamente escolhida, indo de provérbios da Antiguidade às máximas confucianas. 

                                         

Gato Filósofo, O | R$28,00                                     Gato e as Orquídeas, O | R$28,00
 Leia um trecho                                                 Leia um trecho



Hiromi Kawakami

Hiromi Kawakami nasceu em Tóquio em 1958. Estudou ciências biológicas na Universidade de Ochanomizu e foi professora até 1994, quando estreou na literatura com o romance Kamisama [Deus]. Com Hebi o fumu [Pisar uma cobra] recebeu em 1996 o Prêmio Akutagawa. 
Desde então, vem sendo reconhecida e laureada em diversas premiações importantes, inclusive com o Prêmio Tanizaki de 2001, por A valise do professor. Uma das escritoras japonesas mais lidas na atualidade, Kawakami vem se impondo no mundo literário com a tonalidade extremamente peculiar de seu estilo, ao mesmo tempo refinado e enxuto, onde os temas privilegiados são o dia a dia metropolitano, o charme das metamorfoses da vida, o amor e a sexualidade.

Quinquilharias Nakano
é um livro leve e engraçado sobre o cotidiano e os dramas pessoais dos funcionários de uma loja de quinquilharias usadas. Já em A valise do professor, ganhador do Prêmio Tanizaki, um dos mais prestigiosos do Japão, a prosa entrecortada e sucinta da autora nos revela a mente confusa de uma mulher embaralhando cenas reais com sonhos, lembranças e reflexões no cotidiano amoroso e solitário na megalópole toquiota, tema recorrente da autora. 

                                                   
Quinquilharias Nakano | R$50,00                                     Valise do professor, A | R$50,00




Patrícia Cardoso

Formada em Arquitetura e Urbanismo na Universidade Mackenzie, em 1995, Patrícia Cardoso é fotógrafa profissional desde 1998. Entre os prêmios que recebeu estão: PAC 15 - Programa de Ação Cultural (2008) – Literatura – Secretaria de Estado da Cultura - Projeto – Subir: a arquitetura de São Paulo através das escadas e PAC 13 - Programa de Ação Cultural (2006) - Fotografia – Secretaria de Estado da Cultura - Projeto – Cana: desdobramentos e contradições. Em 2002 participou com outros fotógrafos do livro Alma Paulista.

Também participou das seguintes exposições: ”Outra Margem”, na Oficina Oswald de Andrade (2003); Prêmio Porto Seguro de Fotografia (2002), curadoria de Cildo Oliveira; Projeto Caixa Populi (2000), curadoria de Emidio Luisi; Casa Fuji (1999), curadoria de Rosely Nakagawa. Atualmente, Patrícia colabora com as principais revistas de arquitetura, decoração e paisagismo do país. 

Arquitetura pelas escadas | R$42,00
 Leia um trecho




Sayaka Murata

Sayaka Murata nasceu em 1979 em Inzai, na província de Chiba, próxima a Tóquio. Fã de mangás e ficção científica, desde a infância já escrevia histórias. Frequentou a Universidade Tamagawa em Tóquio e passou a estudar escrita criativa paralelamente. Querida Konbini, seu décimo livro, marcou seu nome entre os mais celebrados da nova literatura japonesa: a obra chega à marca de 700 mil exemplares vendidos no Japão, ganhou o prêmio Akutagawa, um dos mais prestigiosos do país, e rendeu à autora um lugar entre as mulheres do ano da Vogue Japão em 2016. A obra está no prelo ou publicada em 18 idiomas pelo mundo e já atingiu status de best-seller internacional.

Antes, Murata havia recebido os prêmios Gunzo e Noma, em 2003 e 2009, ambos voltados para novos escritores, e o prêmio Yukio Mishima, em 2013. Os temas abordados por ela costumam se relacionar à não conformidade dentro da sociedade japonesa nas relações de gênero, trabalho e na sexualidade, frequentemente incorporando aspectos distópicos ou de horror. Seu conto “Um casamento limpo”, sobre um casal que deseja conceber um filho sem fazer sexo, foi publicado na Granta Vol. 13: Traição, também em tradução de Rita Kohl.

Curiosamente, Murata, que mora em Tóquio, também trabalhou por mais de uma década em uma konbini, desde a faculdade até quase um ano depois do sucesso estrondoso deste romance. O trabalho na loja a ajudava com a rotina da escrita e lhe permitia uma das suas atividades preferidas: observar pessoas comuns em seu dia a dia.
Querida konbini, o premiado best-seller internacional, Sayaka Murata cria, no interior de uma konbini — uma das onipresentes lojas de conveniência japonesas —, um espelho da sociedade contemporânea, questionando os moldes em que temos de nos encaixar para poder fazer parte dela. 


Querida konbini | R$39,00
 Leia um trecho





Denise Bernuzzi de Sant’Anna

Denise Bernuzzi de Sant’Anna é professora livre-docente nos Programas de Pós-Graduação de História e Psicologia Clínica da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. É pesquisadora I do CNPq. Doutorou-se em 1994, na Universidade de Paris VII, e possui pós-doutorado em história pela École des Hautes Etudes (EHESS).

Publicou os livros O prazer justificado: história e lazer [Marco Zero, 1994], Políticas do corpo [Estação Liberdade, 1995], Corpos de passagem – Ensaios sobre a subjetividade contemporânea [Estação Liberdade, 2001], Cidade das águas – Usos de rios, córregos, bicas e chafarizes em São Paulo (1822-1901) [Senac, 2007] e História da beleza no Brasil [Contexto, 2014], além de diversos artigos sobre as relações entre o corpo e a cultura contemporânea.

Na obra Gordos, magros e obesos, a autora propõe uma viagem fascinante sobre como o peso do corpo de um sujeito “fala” sobre o tempo em que ele vive e o impacto disso em suas relações sociais. Aborda também as alterações dos hábitos alimentares no país ao longo do século XX, cujas consequências, fatalmente, estão sempre atreladas à balança.

Gordos, magros e obesos | R$43,00
 Leia um trecho





Christa Wolf 

Christa Wolf nasceu em 1929, em território polonês, transferindo-se para a futura República Democrática Alemã em 1945. Apesar da postura crítica, manteve-se fiel à RDA. Estudou literatura em Jena e Leipzig. Trabalhou em revistas literárias e como editora, dedicando-se, a partir dos anos 1960, unicamente a sua produção ficcional, poética e dramatúrgica. Faleceu em Berlim em 2011.

Sua obra versa sobre a ética do indivíduo frente ao Estado e outras questões morais. É considerada uma das principais autoras alemãs do século XX.

Em sua obra Cassandra, publicada pela Estação Liberdade, a escritora alemã Christa Wolf cria um monólogo onde coloca em cena os conflitos interiores vividos por esta bela dramática personagem, figura mitológica da Guerra de Troia. Após a narrativa, a autora apresenta quatro conferências, nas quais conta como a figura de Cassandra se apossou inteiramente de sua mente e do seu dia a dia.




Cassandra | R$50,00
 Leia um trecho








Comentários

Escreva um comentário